MicroPés

MicroPés

ALIMENTOS VIVOS, BIO VIVOS, MICRO VERDES, MICROPÉS(que é como nós dizemos)
Tanto faz que nome lhes damos, as suas propriedades são extraordinárias!
Diferem dos germinados uma vez que os rebentos crescem em solo, desenvolvendo raízes e folhagem miúda. Têm sabor mais intenso que os germinados e maior densidade nutricional do que as folhas maduras.
São chamados de alimentos vivos porque são o resultado da germinação de grãos ou sementes, que após este processo darão origem à planta correspondente. Ora já se consegue perceber que se trata de um alimento de elevada densidade nutricional uma vez que, após a hidratação da semente, em ambiente adequado (oxigénio e temperatura), esta vai libertando todos os nutrientes que nela estão armazenados para que se possa iniciar uma nova vida!
A série de processos bioquímicos que se sucedem, contribuem para a degradação de diferentes constituintes que protegem e armazenam os nutrientes. Ao longo das primeiras 2 a 4 semanas de germinação, estes nutrientes vão sendo libertados, aumentando assim a biodisponibilidade de vitaminas, minerais e antioxidantes, aumentando ainda, o teor e qualidade (valor biológico) das suas proteínas.

Os nutrientes que se encontra em maior teor nestes alimentos são:

  • Vitamina C
  • Betacaroteno – vitamina A
  • Vitamina K
  • Vitamina E
  • Polifenóis e antioxidantes

Durante esta fase da germinação, ocorre a ativação das suas enzimas e quebra de componentes anti-nutricionais, o que contribui para a sua elevada digestibilidade.

De acordo com testes realizados pela Monash University, no contexto da dieta pobre em FODMAP (protocolo para Doença do Intestino Irritável) alguns cereais e leguminosas após germinados, podem conter teores reduzidos de FODMAP quando comparados com o alimento fresco. Ter em atenção que nesse caso os testes foram realizados com germinados e não com os bio vivos, para mais informações sobre este tópico, por favor consulte a Monash University.

Bio – porque são biológicos!
Vivos – porque são para serem colhidos na hora e consumidos crus!

Ter e atenção que devem ser consumidos imediatamente após a sua colheita, uma vez que as sua riqueza nutricional degrada-se rapidamente. Corte apenas a quantidade que for consumir, e reserve em local solarengo e borrifar várias vezes ao dia para que possa continuar a crescer.

Podem ser utilizados em saladas, batidos, sopas, mas também no prato. Já agora, não se esqueça de adicionar um fio de azeite na hora de comer, este passo contribui para melhorar a absorção das vitaminas lipossolúveis que vemos aumentadas nos bio vivos!

Esta semana temos:

AGRIÃO DE TERRA – Barbarea verna

  • Num estudo de 2016, das 30 variedades de micro verdes da familia Brasicaceae, o agrião de terra apresentou a maior concentração de manganês (0,41mg/100mg FW), uma boa quantidade de potássio (376mg/100g FW) e ainda uma concentração de cálcio de 79mg/100g de peso fresco.

AMARANTO TRICOLOR

  • Num estudo realizado em 2012, dos 25 tipos de micro verdes testados, o amaranto vermelho, Amaranthus Hypochondriacus L., apresentou o maior teor de vitamina K1 – filoquinona – (4,1 μg/g), 3,5 vezes mais do que a sua folha madura. Sendo uma fonte rica neste tipo de vitamina K, que é responsável pela coagulação sanguínea, deve ser consumida em moderação por pessoas a tomar medicação anticoagulante.
  • Ainda neste estudo, verificou-se que o amaranto vermelho era uma das sementes com maior concentração de vitamina C, sendo superior em 3-11 vezes superior à sua folha madura, 131,6mg/100g e 11,6−45,3 mg/100 g, respetivamente.
  • Ainda neste estudo, os micro verdes de amaranto vermelho foram considerados uma excelente fonte de beta-caroteno (8,6mg/100g), nomeadamente luteína e zeaxantina (8,4 mg/100mg), apresentando uma concentração semelhante à das cenouras e batata-doce, maduras.

Cortar, lavar e juntar à receita.
Temperar a gosto e comer!

FW – peso fresco

MICROGREENS – “BIO ALIVE”

They are sprouts that are allowed to take root and develop a set or two, of true leaves. They are more flavorful than sprouts and nutritionally superior to both baby greens and regular greens.

They are called live food since they are the product of germination of grains and seeds that will origin a new plant. In a specific set of conditions (water, oxygen, temperature and land), the seed will release all the nutrients stored to initiate a new plant, a new life! Thus it’s easy to understand their high nutrient density.

All of biochemical pathways that occurs, are responsible for the degradation of storage units and the release of the nutrients. Due to this processes, in the first 2 to 4 weeks of germination, the bioavailability of vitamins, minerals, antioxidants and amino acids increases.

The mainly increased components in the microgreens are:

  • Vitamin C
  • Beta- carothen – vitamin A
  • Vitamin K
  • Vitamin E
  • polyphenols

In the germination process also occurs the release of enzymes and the breakdown of the anti-nutrients, which enhances microgreens digestibility.

According to Monash University, in the context of the Low FODMAP diet for IBS (irritable bowel syndrome), some cereals and legumes, may have low content of FODMAPs after sprouted, when compared with the fresh and mature plant. Be aware that the tests made here, were with sprouts, not with microgreens, nevertheless, for more information on this topic, please visit Monash University.

We call them bio vivos (bio alive)

Bio – because they are organic!

Vivos/Alive – because they are made to be harvested in the moment and eaten raw!

Be aware that they should be eaten immediately after harvest, since they begin to lose the nutritional value rapidly after harvest. Cut the exact portion you’ll eat and leave the container in a sunny place and spray with water several times a day.

They can be used in salads, juices, soups and also in your favorite dish as a toping or garnish. By the way, don’t forget to add olive oil to your microgreens, since this will enhance the absorption of the fat soluble vitamins that are increased in this live food!


This week we have:

UPLAND CRESS – Barbarea verna

  • In a 2016 study, of the 30 variety of Brasicaceae microgreens tested, upland cress had the highest concentration of manganese (0,41mg/100mg FW), a good amount of potassium (376mg/100mg FW), and a fairly good source of Calcium, with a concentration of 79 mg/100g of fresh weight.

AMARANTH TRICOLOR

  • In a 2012 study, of the 25 variety of microgreen tested, red amaranth (garnet), Amaranthus Hypochondriacus L., had the higher content of vitamin K1 – phylloquinone – (4.1 μg/g FW), 3,5 times more than it’s mature leaf. Being such a rich source of this particular kind of vitamin K1, which is responsible for blood clothing, it should be consumed in moderation by individuals taking blood clothing pills.
  • Also in this study, red amaranth showed one of the highest concentration of vitamin C (131,6/100mg FW) , being 3-11 times over the content of it’s mature leaf (11,6-45,6mg/100g FW).
  • In addition, the red amaranth microgreens where considered an excellent source of beta-carotene (8,6/100mg FW), mainly lutein and zeaxanthin (8,4mg/100g FW), similar to mature carrots and sweet potato.

Cut, wash and add to your favorite recipe.

Season at taste and eat!